Supremo Dever

(Lc. 18:1-8)

INTRODUÇÃO: Tenho ficado incomodado com uma situação bastante incômoda nestes dias no convívio com pessoas que freqüentam a igreja, pois muitas delas se dizem desanimadas com o seu atual momento de vida, só esta semana ouvi isto de três pessoas diferentes, sendo que tal realidade tem me causado certo desconforto e apreensão, pois posso observar de certa forma que tais pessoas não estão sabendo usar da sua exponencialidade espiritual e sendo assim são sucumbidas por este mal desalienador da espiritualidade. A oração é um supremo dever para todo cristão que deseja combater o desânimo, como também é o meio pelo qual Deus produz vida naquilo que está inativo, fraco e sem brilho. Se orarmos vamos experimentar o estar no centro da vontade de Deus e ver as coisas fluírem de maneira clara e natural, porém se não orarmos seremos presa fácil das circunstâncias que nos cercam e principalmente o desânimo. Para lidarmos com estas circunstâncias oposicionistas e termos uma vida constante de oração precisamos observar alguns caminhos que necessitamos seguir, e hoje neste foco sobre a necessidade de vermos e praticarmos a oração como uma das nossas necessidades espirituais básicas consegui enxergar neste texto que:

PARA SE TER UMA VIDA CONSTANTE DE ORAÇÃO É PRECISO VENCER TODA E QUALQUER OPOSIÇÃO

DESAFIOS PARA QUE SUPEREMOS AS OPOSIÇÕES E TENHAMOS ASSIM UMA VIDA CONSTANTE DE ORAÇÃO

I-DESENVOLVER UMA DISCIPLINA PESSOAL (V 1)

v  É preciso que saibamos que a oração não é uma atribuição optativa, porém um dever regente de nossa espiritualidade (Rm. 12:12)

v  O desânimo é o grande problema para aqueles que se acovardam diante das oposições (II Co. 4:1 e 8-10)

v  Com vontade ou sem vontade é preciso que desenvolvamos uma vida disciplinada de oração (Ef. 6:17-20)

II-EVIDENCIAR UMA RESISTÊNCIA ESPIRITUAL (V 2-4)

v  É necessário que não nos curvemos diante daquilo que se pareça maior do que nós, mas resistamos firmemente àquilo que seja contrário a Deus e as pessoas (I Pe. 5:8-9)

v  A inconsistência é um mecanismo pertinente aos covardes e medrosos e não aqueles que verdadeiramente temem a Deus (I Co. 15:58)

v  Quando mostramos resistência àquilo que se oponham as coisas espirituais ficamos mais consistentes na nossa devoção espiritual (At. 4:18-21)

III-PRATICAR UMA PERSISTÊNCIA ESPECIAL (V 5-7)

v  A persistência precisa ser uma qualidade visível reconhecida em pessoas que nunca desistem na busca dos seus ideais de vida (Fp. 3:12-14)

v  A desistência é um caminho compartilhado por aqueles que não estão dispostos a investir tempo e alento na sua espiritualidade (Jo. 6:60, 66)

v  O exercício da persistência na oração é o que moverá o coração do reto juíz em atender as nossas carências (Jr. 33:3)

CONCLUSÃO: Você é uma pessoa disciplinada em relação ao exercício diário e constante na oração? Que tipo de resistência você demonstra diante de uma situação de impossível resolução em sua vida? Você é daqueles que não desistem por mais dura que seja a realidade ao seu redor mantém assim uma vida marcada pela persistência na oração?

Pr.Carlos

Leave a Reply

  

  

  

Protected by WP Anti Spam