O FIM DA LINHA (Lc. 16:19-31)

INTRODUÇÃO Dia 26 de novembro de 2016 foi um dia muito especial para mim e para muitos devido ao fato de havermos perdido um grande líder da igreja cristã brasileira e grande referência teológica mundial; o Dr. Russel Shedd que partiu para estar com o Senhor. Mas foi também o dia em que a história perdeu outra referência, e está de ordem política do cenário mundial e ex. presidente de Cuba. Fidel Castro e Russel Shedd duas figuras que partiram dois grandes soldados, onde o primeiro era a voz da revolução, o segundo a do avivamento. O primeiro matou pelos seus ideais, o outro deu a vida por um ideal. O primeiro teve o seu nome exaltado, o segundo exaltou o nome de Cristo. O primeiro entrou para a história, o segundo entrou pelos portões celestiais. Quanta diferença Cristo faz na vida de um homem capaz de se entregar completamente em suas mãos. E que permaneça entre nós o exemplo de luta do servo de Deus, e por isto gostaria de pensar com os amados irmãos hoje sobre uma condição que não servirá mais como fator de experiência para fazermos aquilo que temos que fazer agora. O exemplo do rico desta parábola visa abrir os olhos daqueles que estão vivendo um cristianismo puramente de fachada sem a essência, compromisso e envolvimento necessário com as causas dos necessitados, e que consequentemente poderá levá-los também para um lugar em que se encontram os grandes ditadores que passaram por este mundo e causaram muitos prejuízos aos homens.

QUANDO SE CHEGA AO FIM DA LINHA SÓ RESTA A ESCOLHA QUE FIZEMOS

ATITUDES VÃS QUE NÃO SERÃO CONSIDERADAS QUANDO SE ESTIVER NO FIM DA LINHA

 I- UM DESPERTAMENTO ATRASADO (V22-23)
  • A morte é tão certa quanto ao fato da realidade da vida. – (Hb 9:27)
  • A morte é como um animal faminto diante de sua presa indefesa esperando para dar o bote.
  • Segundo dados estatísticos de órgãos governamentais morrem por dia mais de 200 mil pessoas no mundo.
  • Porém a morte pode trazer retorno positivo ou negativo, tudo dependerá das escolhas que fizermos.
II- UMA VISÃO TARDIA (V23)
  • A visão precisa ser oportuna e não depois quando tudo houver se acabado.
  • A visão precisa ser trocada no seu foco acerca do lugar onde esta sendo colocada. – (Is 45:22)
  • O excesso de preocupação que olha para o aqui e agora tira o foco da real preocupação e gera assim ingratidão. – (Rm 1:21-22)
  • É preciso que nossos olhos estejam sempre sendo levantados para o alto. – (Cl 3:1-3)
III- UM CHORO DEMORADO (V24)
  • Nosso choro precisa ter um alvo de momento nos que estão sofrendo agora. (Ex. Lázaro)
  • Há muitos necessitados ao nosso lado que precisam de auxílio e socorro. – (Mt 25:34-36)
  • O rico da parábola jamais pensara no bem estar do outro, mas somente em si mesmo
  • É preciso lembrar que o egoísmo do pecado nos cega e nos endurece impedindo nos de ver a necessidade alheia. – (Hb 3:13)
IV- UMA ORAÇÃO INÚTIL (V27)
  • Que fora feita no afã do desespero ao santo patriarca Abraão.
  • Que focaliza uma realidade de pessoas fora de um raio de ação espiritual.
  • Nossas orações tem uma realidade dimensional de ação, para isto precisamos orar sempre. – (I Ts 5:17)
  • É preciso que oremos, pois a oração faz toda a diferença. – (Tg 5:16)
V- UMA LEMBRANÇA RETARDADA (V25)
  • Que ressaltam a bondade de Deus em conceder-lhe bens durante o tempo de vida. – (Jo 3:27)
  • A advertência tem por objetivo fazer com que o homem não se esqueça do Criador. – (Rm 2:3-4)
  • No inferno uma das atividades que os que ali estiverem terão é o das lembranças do tempo de outrora.
  • Porém tais lembranças não terão influência decisiva nenhuma para se refazer algo. – (Mc 9:44)
VI- UMA PREOCUPAÇÃO INOPORTUNA (V28)
  • Quando estava vivo e neste mundo ativo nunca se preocupou com a salvação daqueles que eram família.
  • Está é a saga de muitos de nós que muitas vezes deixamos de testemunhar da graça de Deus aos nossos. – (At 1:8)
  • O ide de Jesus não pode ser ignorado para que não venhamos mais tarde a lamentar por ente perdido. – (Rm 10:14)
  • Precisamos assim cuidar dos vivos porque os mortos não podem mais receber cuidados – (Lc 9:60)

CONCLUSÃO: Para não ser encontrado na mesma situação do rico da parábola é preciso que estejamos sempre atentos e despertados para o fato da eternidade, termos uma visão muito clara da nossa realidade espiritual para viver em comunhão com Deus e sua palavra para que não precisemos chorar amargamente depois, bem como termos uma vida constante de oração e comunhão com o Senhor, além é claro também de cultivar gratidão diante de boas lembranças da ação de Deus, e assim demonstrarmos preocupação diária com os nossos por meio de um testemunho eficaz para que nenhum deles se percam.

Leave a Reply

  

  

  

Protected by WP Anti Spam