O ARREPENDIMENTO SEGUNDO JESUS (Lc. 13:1-5)

INTRODUÇÃO: O primeiro mandamento do ministério público de Jesus foi: “Arrependam-se “… isto era um apelo para uma mudança interior que fosse radical em relação à Deus e ao homem. Arrependimento é uma mudança da mente e coração, não uma simples tristeza por haver pecado ou uma ligeira melhora comportamental. A palavra grega para arrependimento é metanoeõ, de onde vem metanoia, sendo que a segunda parte desta palavra (noeõ) refere se a mente e seus pensamentos, percepções, e propósitos, porém a primeira parte (meta) é um prefixo que, normalmente, significa movimento ou mudança. Em razão disto concluímos que este prefixo funciona na dedução que o significado básico de arrependimento é experimentar mudança de percepções, disposições, e propósitos da mente. Um outro fator que aponta para arrependimento é a exigência de Lc 3:8 entre arrependimento e novo comportamento…”Dêem frutos que mostrem o arrependimento”(V11). Sendo assim o arrependimento ocorre dentro de nós, produzindo uma mudança que produz frutos do novo comportamento. Arrependimento não significa novo modo de agir mas  é a mudança interior que produz novo modo de agir. Sendo assim nossas definições sobre arrependimento ficam muito aquém do que seja o verdadeiro significado desta verdade absoluta ensinada por Jesus com vistas a salvação e por isto é importante que concluamos ao ler este texto que:

O ARREPENDIMENTO É O PRINCÍPIO REGULAMENTADOR DA SALVAÇÃO

 CONCEITOS SEGUNDO JESUS PARA COMPREENDERMOS QUE O ARREPENDIMENTO É O PRINCÍPIO REGULAMENTADOR DA SALVAÇÃO

 I- O CONCEITO DO PECADO – V 1-3
  • A nossa grande dificuldade de conceituar pecado de forma branda e egoísta – (Mt 7:3)
  • O conceito segundo Jesus é contrastado radicalmente em relação ao nosso – ( Rm 3:10-12, 23-24, Jo 9:1-2)
  • A negativa segundo Jesus ao conceito humano como apontamento para a salvação – (Jó 42:7, I Sm 16:7)
  • O arrependimento é o princípio regulamentador da salvação porque ele nos mostra como tratar o pecado
 II- O CONCEITO DE JUÍZO – V 3b-4b
  • O juízo divino é um decreto já estabelecido para aqueles que não se arrependem – (II Pe 3:9)
  • O juízo divino é um fato condicionado a resposta do comportamento humano (O X do farisaísmo) – (Rm 6:23, Hb10:26-27)
  • O juízo divino alcança todos aqueles que não recorrem ao desafio sincero de arrependimento verdadeiro – (Jo 12:48)
  • O juízo divino aponta para um lugar específico para aqueles que não se arrependem – (Mt 11:20,23-24)
  • O arrependimento é o princípio regulamentador da salvação porque ele nos leva a fugir do juízo divino
 III- O CONCEITO DE JUSTIÇA – V 4-5
  • A justiça de Deus é totalmente contraposta a justiça do homem – (Rm 2:1-3)
  • Há uma crise no problema do imaginativo humano em relação a definição de culpabilidade – (Rm 14:10, Jo 7:24)
  • Tendenciosamente forçamos uma barra para querermos pensar como Deus no trato com as pessoas quando estas erram – (Rm 3:10-12, 21-25)
  • O arrependimento é o princípio regulamentador da salvação porque nos aponta como Deus exerce sua justiça

CONCLUSÃO: Como você tem conceituado pecado?…O que é pecado para você? De que forma você faz uma leitura sobre o juízo divino em relação aos conceitos atuais de salvação?…Você é daqueles que acham que no final todo mundo vai ser salvo? O seu conceito de justiça está embasado na desgraça do outro como meio punitivo ou na atitude da justa maneira de Deus tratar nos com base no arrependimento?

Pr. Carlos Norberto

Leave a Reply

  

  

  

Protected by WP Anti Spam