O VALOR DE UMA CONTRIBUIÇÃO (Mc. 12:41-44)

INTRODUÇÃO: Temos visto nestes dias de relativismos comportamentais uma tendência muito predominante de práticas de distorções de valores absolutos por parte de pessoas que focam sua fé em elementos convenientes da conduta humana, sendo que umas destas alas influenciadas pela teologia da prosperidade fazem uma leitura distorcida a respeito do conceito de contribuição, onde ressaltam a importância do valor da oferta e não a atitude do ofertante. Há muitos relatos que com certeza nos surpreende tais como estes em que os tele evangelistas da prosperidade de plantão fazem desafios aberrantes para que pessoas deem uma oferta de grande valor numérico com a garantia de que receberão quatro vezes mais, criando um ambiente místico como se pudessem e estivessem a barganhar com Deus. Absurdo como estes se veem todos os dias acontecendo ao vivo na telinha, esquecendo estes homens sobre a seriedade do conselho bíblico que afirma que de Deus não se zomba!…Tenho que por certo que quando a motivação do ofertante é dar para receber, isso expressa um pecado chamado ingratidão, sendo que o valor da oferta acaba sendo dado pela quantia monetária doada, e não é assim que devemos relacionar-se com aquele que é o Senhor e dono de todas as coisas, pois este tipo de apelo presume que o valor da oferta é determinado pela quantia monetária doada. Sendo assim qual é então o tipo de oferta que Deus espera de nós? A grande lição centrada deste texto que podemos vislumbrar com a atitude da viúva é que:

 JESUS NÃO VÊ O VALOR DE UMA CONTRIBUIÇÃO DA MESMA FORMA COMO O VÊ O HOMEM

 TRÊS MANEIRAS DE DETERMINAR O VALOR DE UMA CONTRIBUIÇÃO SEGUNDO A ÓTICA DE JESUS

 I – A CONTRIBUIÇÃO É UM ATO DE PRONTIDÃO – (V42)
  • O texto aponta a disponibilidade da viúva em contribuir independente do seu momento
  • Muitos tendem a ofertar quando tudo esta em ordem, Deus valoriza a nossa prontidão independente da situação! –
  • (Fp 4:12-13)
  • Quando olhamos para o circunstancial, tiramos os nossos olhos de Deus que é fiel e não lhe devolvemos aquilo que é Dele (Sl 145:13b)
  • O momento de você ser fiel é agora!…Lembre-se o dízimo do NT é tudo! – (At 4:34-35)
 II – A CONTRIBUIÇÃO É UM ATO DE GRATIDÃO – (V43)
  • As razões de gratidão desta viúva é a sua pobreza e o descaso dos religiosos para sua manutenção
  • É preciso obediência às advertências de Deus para não nos esquecermos de casos como os da viúva
  • (Is 10:1-2, Zc7:9-10, Ml 3:5)
  • Mesmo diante de uma realidade cruel esta viúva demonstra gratidão por meio de sua oferta, e não fica justificando sua condição como muitos o fazem, ela exercita sua gratidão ofertando tudo – (Fp 4:11)
  • Essa gratidão não baseava nas circunstâncias de sua vida ou quantidade de dinheiro que possuía, mas no seu conceito de Deus – (I Ts 5:18)
  • A gratidão precisa reger nossas motivações como atividade de contribuição – (Sl 50:23)
 IIII – A CONTRIBUIÇÃO É UM ATO DE FÉ – (V44)
  • A gratidão produz expressão de fé, a viúva demonstra sua fé ao dar tudo quanto possuía, todo o seu sustento – (Mt 23:23)
  • Fé é entregar-se totalmente a Deus, enxergando-o como provedor e sustentador de nossas vidas (Sl 23:1)
  • Quando damos tudo quanto possuímos, expressamos rendição a Ele, e foi isto que a viúva fez, entregando sua própria vida a Ele como expressão de fé – (II Co 8:1-4,7)
  • A maior virtude neste processo é a confiança em Deus, não no fato de ser pobre, mas em acreditar Nele exercitando fé sacrificial e proporcional as posses – (II Co 8:3)
  • É importante lembrar que neste contexto há um confronto entre justiça própria dos fariseus e a lógica absoluta de Jesus
  • A oferta da viúva ilustra a rendição aos cuidados de Deus como o tipo de fé que Jesus esperava ver naqueles a quem se manifestara – (Lc 19:8)
  • Fé é o fator determinante quando ofertamos, e não a quantia que ofertamos!

CONCLUSÃO:

  1. Você é daqueles que se mostram sempre prontos para ofertar como qualidade pertinente do seu compromisso e amor por Ele?
  2. Será que é perceptível em seu coração uma atitude de gratidão quando você oferta?
  3. Você tem conseguido crer e confiar totalmente em Deus nesta área tão desafiadora da vida que é a contribuição?
  4. Você se vê no centro da vontade de Deus em relação a exercitar fé quando é chamado a generosidade na contribuição?

 

Pr. Carlos Norberto

Leave a Reply

  

  

  

Protected by WP Anti Spam