PATERNIDADE COERENTE – Mt. 7:7-12

PATERNIDADE COERENTE
(Mt 7:7-12)

INTRODUÇÃO: Ser pai é um dos maiores desafios àqueles que são homens de verdade. A paternidade é um sacerdócio que exige esmero e esforço para a formação moral, intelectual e espiritual da família, sendo que tamanho privilégio e responsabilidade não fora dados a qualquer um, embora muitos sejam pais, a grande verdade é que poucos desenvolvem este legado de maneira justa correta e coerente. Conforme o tema da mensagem de hoje, gostaria de chamar sua atenção para um grande desafio a todos que estão aqui, sejam estes solteiros ou casados, tenham ou não filhos, sobre a necessidade de serem pais segundo o coração de Deus, e mais precisamente sobre a realidade de ser um pai coerente. Existe nestes dias uma crise em nossa sociedade devido a ausência deste tipo de sujeito que se encontra em extinção. Queria olhar para este texto numa perspectiva de que a paternidade coerente começa sempre com a prática responsável de uma boa devoção, pois sem ela é impossível ser o pai segundo o coração de Deus e daí gostaria de pensar numa frase que resume o nosso texto de hoje:

UMA PATERNIDADE COERENTE É RESULTADO DE UMA DEVOÇÃO SEGURA

ELEMENTOS DE UMA PATERNIDADE COERENTE
(QUE É RESULTADO DE UMA DEVOÇÃO SEGURA)

I-    SUA EXPRESSÂO DE DIGNIDADE (V 9-10)
A dignidade de um pai esta no fato dele responder positivamente aos anseios dos filhos
Um pai coerente nunca agirá contrariamente ao apelo natural diante da necessidade de um filho
Um pai coerente fará aquilo que é necessário à sobrevivência e existência dos filhos (Sl 103:13)
Um pai coerente verá com naturalidade as reais carências dos filhos por ser seu protetor (Jó 1:5)

II-    SUA PRIORIDADE PARA COM A NECESSIDADE (V 9-10)
Um pai coerente é sensível à necessidade dos filhos
Um pai coerente sempre será requisitado pelo filho que pede aquilo que precisa (Lc 15:20)
Um pai coerente nunca é permissivo e nem punitivo demais, consegue manter o equilíbrio no cuidado da educação dos filhos (I Ts 2:11-12; Hb 12:7-10)
Um pai coerente estará sempre preparado para servir com boa vontade as reais necessidades do filho (Mc 9:17, 21-24)

III-    SEU RECONHECIMENTO DE HUMANIDADE (V 11)
Deus não os chamou para sermos pais perfeitos, mas para colocarmos a nossa confiança nele (Lc 1:17)
Um pai coerente reconhece que é pecador e sujeito a erros em sua relação com os filhos, por isso sabe quando deve pedir perdão (Ef 6:4; Cl 3:21)
Um pai coerente sabe que tais limitações não serão obstáculos para servir adequadamente aos filhos (Sl 27:10)
Um pai coerente tem sua base de referência no cuidado do Supremo Pai (Ef 3:14-16)

CONCLUSÃO: Que tipo de pai você tem sido? Alguém que exerce tal responsabilidade com dignidade? Aquele que tem como suprema prioridade à necessidade de sua família e filhos? Você tem exercido esse sacerdócio consciente de suas falhas, e assim aprendido a confiar em Deus neste exercício sublime? Que tipo de pai você é, um pai decadente ou pai coerente?
Pr. Carlos Norberto da Silva

Leave a Reply

  

  

  

Protected by WP Anti Spam