Igreja: Comunidade dos Filhos de Deus Mc. 16:15-18

Igreja: Comunidade dos Filhos de Deus.

            Uma dos sinônimos que podemos dar a Igreja é:

COMUNIDADE DOS FILHOS DE DEUS

            Quando olhamos para a Bíblia, vemos Deus criando o homem em Genesis com o fim de relacionar-se de forma intima com ele, mas o homem peca e quebra este vinculo de relacionamento íntimo que tinha com Deus, o homem opta pelo pecado (Gn. 3).

Durante a história Bíblica vemos então Deus oferecendo possibilidades e mais possibilidades para este ser que Deus tanto ama, o Homem, voltar  a relacionar-se de forma intima com Ele.

Até que acontece o ápice destas possibilidades de religação, de um relacionamento intimo, JESUS CRISTO.

De uma vez por todas Deus, na pessoa de Jesus Cristo, reconcilia-se com homem que tanto ama, fazendo de seu filho justo, injusto, fazendo-o levar sobre si todas as culpas da humanidade  e o castigo que nos traz a paz estava sobre ele e pelas suas pisaduras fomos sarados (Is. 53:5).

Então neste acontecimento único e sobrenatural na história o homem tem a oportunidade de religar-se a Deus, de relacionar-se de forma intima com Deus. Deus através da pessoa de Jesus Cristo alcança toda a humanidade, não apenas oferecendo esta religação mas agora um relacionamento intimo de PAI PARA FILHOS (Rm. 8:29) basta o homem crer e aceitar.

O Senhor Jesus durante seu ministério vai ENSIANDO, AMANDO, PROMOVENDO, PROTEGENDO e esta sequencia de ações intitula-se: DISCIPULADO.

Deus deseja não apenas que estejamos religados a Ele, mas se relacionando de forma intima, assim como era no Edem antes do pecado, da separação do homem à Deus.

Para isso o Senhor nos deixou o exemplo de todos seus feitos registrados nas Santas Escrituras e uma ordem muita clara: IDE – Marcos 16:15-18

 

 

Igreja: Comunidade dos Filhos de Deus.

Marcos 16:15-18

 

         Como foi o ministério de Jesus?

         Um ministério pulsante, de envolvimento e comprometimento.

Quais eram os meios usados por Jesus para fazer

discípulos?

         Todos possíveis e impossíveis, o Senhor se aproveitava de tudo

       ao seu redor para fazer discípulos.

 

            Temos um privilégio oferecido por nosso Senhor, que neste texto apresenta-se como uma ordem: IDE, fazer em seu Nome tudo o que Ele fez, discípulos. Fazer exatamente o mesmo que Ele fez e para tanto Ele nos outorgou toda sua Autoridade e Poder (Lc. 10:19).

Olhando para a nossa realidade hoje, temos uma ferramenta que Deus tem nos dado e creio que precisamos rever o uso da mesma:

Células e Discípulado.

Quero neste texto destacar 4 ensinos a cerca desta realidade:

 

1º- É PRECISO TER CONSCIENCIA DE QUE DEUS NÃO TEM NETOS.

Romanos 8:29 – Deus nos deu a Igreja para Ele se relacionar conosco, relacionamento de Pai para filhos.

Como Filhos, precisamos gerar novos filhos para Deus.

Quando procedemos assim nos tornamos Pais espirituais de nossos irmãos, e assim sucessivamente.

Mas uma preocupação passou a pairar em minha mente. Se não mudarmos nossa forma de agir, qual será o futuro de nossa igreja?

É gratificante vermos o que Deus têm feito nestes últimos dias em nosso ministério, mas não podemos nos contentar, temos que buscar mais de Deus – Um Avivamento Genuíno – porém creio que Deus só nos dará este avivamento se passarmos a fazer discípulos como Jesus Fazia: ENSIANDO, AMANDO, PROMOVENDO, PROTEGENDO, assim como um pai faz com seu filho biológico. Precisamos mudar nosso conceito de DISCIPULADO.

MEUS DISCÍPULOS SÃO MEUS FILHOS ESPIRITUAIS, MEU DISCIPULADOR É MEU PAI ESPIRITUAL.

 

2º É PRECISO ESTAR COMPROMETIDO COM O DISCIPULADO

Mesmo com bons exemplos e testemunhos de fé se não praticarmos o discipulado de forma comprometida estaremos comprometendo nossa próxima geração.

Foi o erro que cometeu Josué, (Juizes 2:7-13).

Josué cometeu o erro de não discipular assim como Getro fez com Moisés, Moisés com Josué.

O Contexto de Juizes era Teocrático mas ainda assim era necessário o discipulado.

A igreja que não discipulada aos poucos vai substituído o governo do Espírito Santo pelo governo humano.

Não basta ter um avivamento tem que haver o discipulado para dar sequencia a este avivamento à próxima geração. (Atos 2:1-4; 38-41; 4:4)

 

3º É PRECISO MANTER O AVIVAMENTO

            Durante muito tempo ouvi dizer de ondas de avivamento sobre a Igreja brasileira. Até mesmo vive isso, e quantas vezes me pegava pensado: que saudades daqueles dias, e me conformava com isso.

Mas hoje entendo que esta conformidade está errada.

É preciso que o avivamento aconteça e permaneça, que este fogo do Espírito se mantenha aceso em nossos corações e Igreja. Esta manutenção se dará através do contato um a um e isso se chama DISCIPULADO.

Lucas 3:1-4 = O Novo testamento, no Livro de Lucas encontramos João Batista pregando no deserto. Porque?

Por que o Espírito Santo não estava mais no meio daqueles homens, estava do lado de fora do templo.

No templo havia dois sumo sacerdotes, Anás e Caifás, mas a Palavra vem a João Batista que ia para o deserto para pregar e quem quisesse ouvir a Palavra Genuína do Pai teria que ir para o deserto.

Hoje temos púlpitos para todos os gostos, e com isso tem se profanado aquilo que é Santo através de um comércio barato da Autoridade e palavra do Senhor.

O livro de Apocalipse 3:14-21 mostra-nos o Senhor do lado de fora da igreja (v.20).

Em Apocalipse 2:1-7 o Senhor fala a igreja de Éfeso pelo fato D’Ele não estar mais presente nesta igreja.

Esta igreja é a mesma igreja que Paulo pastoreou através de suas cartas a qual elogia em Efésios 1;15.

O que aconteceu amados com está igreja?

Faltou para a igreja de Éfeso o que  acontecia na Igreja de Atos.

(At. 2:42:47) = DISCIPULADO.

 

4º O DISCIPULADO GARANTE A FÉ DA PRÓXIMA GERAÇÃO

            O discipulado garante a continuidade do avivamento.

Nossos filhos biológicos e espirituais darão continuidade através da demonstração dos sinais e testemunho pessoa a pessoa daquilo que Deus tem realizado em nossos dias e a visão e nossa missão será passada adiante (Deuteronômio 6:4-9)

Foi assim com apostolo Paulo e seu filho espiritual Timóteo (I Timóteo 1:1-2) e com Timóteo para com seu filho espiritual Tito (Tito 1:4).

O discipulado 1 a 1 garante a continuidade de nosso ministério, a visão e a missão dada pelo nosso Senhor. IDE FAZEI DISCIPULOS.

Todo meio empresarial de sucesso quer garantir o sucessor e o crescimento  de sua empresa, por isso procuram sempre trazer uma pessoa para perto do líder para ser discipulado, fazer deste seu sucessor, discípulo um líder que venha dar sequencia a visão e missão de sua empresa.

Se queremos deixar um legado de fé para nossa próxima geração precisamos encarar o discipulado de forma muita séria.

Caso contrario poderemos cair no mesmo erro da igreja de Éfeso.

 

Conclusão

Discipulado não é uma opção para o cristão, é uma questão de amor ano nosso Senhor, igreja, irmãos e vidas que estão se perdendo.

Como Igreja de Cristo temos o privilégio de fazer discípulos com a mesma autoridade poder com que nosso Senhor fez.

Precisamos hoje nos comprometer com esta tarefa tão preciosa que o Senhor nos deixou e desta forma estaremos fazendo a vontade do Pai, assim como na Igreja de Atos, Deus acrescentará novas vidas, o avivamento acontecerá na mesma proporção que gerarmos filhos espirituais.

Que nossa geração e as gerações futuras conheçam em nome de Jesus a consistência de um cristianismo pleno do poder do nosso Deus e que nós nesta década venhamos ser os instrumentos propulsores desta manifestação poderosa de Deus em nossos dias e nos dias que virão.

Que sejamos conhecidos pela manifestação do Reino de Deus, no céu, na terra e no inferno. No inferno em função das vidas que em nome de Jesus arrancaremos de lá, na terra pelo testemunho, e no céu pela atividade dos anjos a serviço do povo de Deus.

Pr. Leandro Sergio Cerconviz Martinez

Leave a Reply

  

  

  

Protected by WP Anti Spam